Extractos de "Civilizações do México Antigo"

Através desta obra, o seu autor analisa e revela-nos a sabedoria de grandes povos que, embora hoje tenham sido desprestigiados ou esquecidos, foram autênticas civilizações solares piramidais que nos deixaram um grande conhecimento e sabedoria, não superados pela nossa cultura actual.

 

“A história do México é, na realidade, muito antiga; vem de épocas ancestrais, há muitos milhões de anos atrás. Culturas em que, realmente, não se pode precisar cronologicamente o início da sua civilização, já que é anterior a muitos povos conhecidos. ”

“A grandiosidade da cultura dos povos zapotecas atingiu o seu esplendor máximo no Monte Albán, capital do vale com o mesmo nome, tal como a zona. Edifícios, pirâmides, jogos de bola, túmulos, templos de salas amplas...”

“Uma clara demonstração dos seus profundos conhecimentos em astrocosmologia encontra-se precisamente na Pirâmide de Kukulcán, conhecida com o nome de “El Castillo”, que se encontra em Chichén Itzá e que é um dos monumentos mais notáveis da arquitectura maia... criada e dedicada à Serpente Emplumada, tem uma altura de 24 metros...”

“Copán foi considerada como um grande centro científico, especializado em astronomia... que os maias de Copán foram grandes investigadores do espaço estrelado, não podemos duvidar, pois existem hieróglifos relativos a estas ciências. Estudos de eclipses com uma precisão desconcertante, dos movimentos dos planetas... ”

“Estas cidades do Mayab, desaparecidas para sempre, não serão apagadas das nossas memórias. Lugares sagrados, templos de mistérios; túmulos de nobres, sacerdotes e de Iniciados; pirâmides milenares de portento magistral, com ensinamento humano e cósmico. Estas foram as cidades maias...”

“Ipalnemahuani é o Hunab-Ku maia, é o Céu, o Absoluto, por quem vivemos e temos o nosso Ser. É o Aelohim, o Imanifestado; é a vida que palpita em cada átomo e em cada sol, o Eterno Pai Cósmico Comum; é o que foi e o que será. ”