Extractos Rasgando o Véu do Mistério

Neste livro, o autor apresenta-nos um estudo da Mitologia Egípcia em toda a sua profundidade. Não é mais um livro, aqui a mitologia converte-se num instrumento de desenvolvimento psíquico, álmico e espiritual, mediante a aplicação dos seus ensinamentos ao processo de elevação transcendental do homem.

 

“Todo o verdadeiro Adepto dos Mistérios Isíacos sabe bem que Ísis está tanto em cima como em baixo; na flor, no cosmos, em toda a criação, e inclusive no próprio homem, ainda que em estado latente.”

 

“Osíris, Ísis e Hórus são as diversas manifestações espirituais, hoje esquecidas por todos. Estas três forças primárias estão presentes desde a criação, tanto do Universo como do homem.” “

 

“Quando o ego Seth morre dentro de nós, é decapitado e incinerado nos 49 níveis do subconsciente, resplandece em cada um a sabedoria, o amor, a paz, a beleza da alma.”

 

“O processo de Osíris foi de tal magnitude que foi elevado e exaltado ao grau de RÁ, o deus do Sol. Assim está registado nas diversas inscrições, sepulcros, papiros, no Livro dos Mortos...”

 

“Osíris, o deus Supremo Ressurrecto, é a actividade vital e universal, quer seja espacial ou terrestre e, sob a forma visível de uma deidade, desce ao mundo dos defuntos para os encaminhar à regeneração e, finalmente, à ressurreição manifestada na glória Osiríaca.”

 

“Hórus, o deus Falcão filho do Céu, sucedeu a Osíris como Rei Faraó de todo o Egipto, prevalecendo assim uma nova idade de ouro no país do Nilo.”

 

“Thoth, também chamado Hermes-Mercúrio, é um desdobramento de Anúbis. Thoth é o inventor do alfabeto, escriba e notário dos Deuses, é quem regista no livro de contas as boas e as más acções do desencarnado.”

 

“A Luz Anubiana, projectada pelo chacal Anúbis, é a que recebe a Alma do defunto no processo do falecimento. Está escrito na história do País de Kem que, durante a sagrada cerimónia, a Luz Anubiana provoca a abertura dos olhos que leva o desencarnado a despertar a Consciência no seu estado post mortem.”